ENERGIA

Justiça Federal de Londrina coloca em funcionamento usina fotovoltaica

21 de maio de 2020 - 19:17
usina fotovoltaica

A Justiça Federal de Londrina iniciou na segunda-feira (18), o funcionamento de seu sistema de captação de incidência solar para a geração de energia. O custo da usina fotovoltaica chegou a R$ 600 mil e a estimativa é gerar 20.000 kWh/mês.

A usina conta com 442 placas em uma área de 881 m². A produção deve abastecer o equivalente ao consumo mensal de 36 casas com quatro pessoas, tornando o edifício-sede da Justiça Federal na cidade quase que totalmente sustentável. “O objetivo do projeto é reduzir o consumo de energia elétrica e ele deve chegar a 70% na fatura de energia. A estimativa é que o valor da conta de luz seja reduzido para cinco mil reais. Hoje, o valor fica em torno de 22 mil reais”, informa o Diretor do Foro da Justiça Federal do Paraná, juiz federal Rodrigo Kravetz.

A usina coloca a Subseção Judiciária de Londrina no caminho da sustentabilidade. “Estamos priorizando investimentos relacionados ao consumo racional de energia. O retorno da compra deste equipamento para a produção de energia deve ser em até quatro anos”, explica o juiz federal.

Londrina foi escolhida, pois recebe 300 dias por ano de incidência de luz solar. Outro motivo decisivo para a construção da usina fotovoltaica na cidade decorre do fato que prédio é próprio, o que facilitou qualquer ajuste necessário para a instalação das placas. “Uma avaliação pericial no edifício constatou também que o telhado tinha uma inclinação propícia, permitindo que as placas captem luz solar durante todo o dia”, explica o engenheiro Werveson Jaques Rocha. A construção da usina começou no início de dezembro.

Tópicos relacionados

Outras notícias

Todas as notícias
JFPR no Facebook JFPR no Twitter JFPR no Flicker  JFPR no Youtube

Aplicativos Eproc

Loja Google Play Loja App Store
www.jfpr.jus.br